Colunista Ronival Gonçalves: Como Destruir A Vida Presente e a Existência Eterna do Seu Filho?

Colunista Ronival Gonçalves: Como Destruir A Vida Presente e a Existência Eterna do Seu Filho?

A quantidade de crianças e adolescentes caindo nos vícios da bebida, do cigarro e das drogas, é preocupante, para a sobrevivência da própria sociedade. Pois, o próximo passo, infelizmente, será a entrada no mundo da criminalidade, aumentando a prática dos latrocínios e dos homicídios; principalmente, nos países subdesenvolvidos. O pior de tudo, no entanto, é assistirmos a um jogo de “empurra-empurra”, onde as diversas instituições sociais (da família ao Estado) atribuem a culpa dessa situação uns aos outros; não querendo assumir a responsabilidade pela mesma. É claro que todas têm a sua parcela de responsabilidade, para com essa insólita condição! E, cedo ou tarde, pagarão a sua parte, quando a humanidade, como aconteceu em outras ocasiões, chegar ao ocaso da sua existência.

É evidente, porém, que, sendo a principal formadora do caráter da criança, a família tem maior responsabilidade no que está acontecendo com ela. Pois, uma criança, que recebe a devida educação moral e espiritual, no lar, dificilmente vai enveredar pelo caminho dos vícios e do crime. Portanto, os pais são, de fato, os maiores culpados. Não apenas por negligenciarem o ensino necessário para o correto desenvolvimento intelectual, afetivo-emocional, físico, social e, acima de tudo, espiritual, do filho. Mas, também, por estimularem, pelo exemplo, práticas que se mostrarão tremendamente prejudiciais a ele! E, ignorantemente ou não, a grande maioria dos pais está sendo cúmplice e fomentadora das mazelas infanto-juvenis que estão destruindo, além da vida presente dos filhos, a esperança de que eles façam parte do Reino de Deus. E ai daqueles pais que estão procedendo assim!

Abaixo, estão algumas maneiras pelas quais os pais podem começar uma série de desgraças na vida do seu filho. Ou, então, continuarem com a obra que já vêm fazendo! É claro, leitor(a), que você, sendo pai ou mãe, pode optar por agir em uma direção contrária. E promover a felicidade presente e futura do seu filho!

1) Fume, beba e use drogas, durante a gravidez. Faça uso abundante de medicamentos. Abuse de alimentos altamente temperados. Use roupas exageradamente apertadas. Se você é uma “dama da noite”, mantenha sua atividade sexual promíscua, durante os primeiros meses de gestação. Na pior das hipóteses, seu filho nascerá morto. Em uma hipótese menos pior, ele poderá nascer sem cérebro ou com algum dos inúmeros defeitos físicos e doenças congênitas (sífilis, AIDS, gonorreia, etc.) que acometem os bebês. Ou, então, ele nascerá já propenso a ser um fumante, um beberrão ou um drogado profissional.

2) Não amamente seu filho. Invente uma desculpa qualquer. Diga que não tem leite (embora existam tratamentos para aumentar e conservar o leite materno). Diga que não suporta as mordidas irritantes do bebê. Deixe que ele se desenvolva sem a imunidade necessária para fazer frente às muitas doenças infecciosas. Dê mamadeira para o bebê. Substitua o leite materno por comidas pesadas e temperadas, irritantes para o seu frágil sistema digestivo (arroz, feijão e, sim, carne). São os primeiros passos para a incidência de inúmeras doenças, como gastrite, úlceras, além de um estímulo para o uso de bebidas alcoólicas, fumo e drogas.

3) Nos primeiros anos, deixe que o seu filho abuse dos alimentos. Não se preocupe com a quantidade de comida que ele ingere. Será muito importante para o seu filho desenvolver um caráter irritante e impaciente. Também substitua os alimentos bons (frutas, verduras, cereais, etc.) pelos falsos alimentos (salgadinhos, refrigerantes, sobremesas, doces, etc.). Durante a infância e adolescência, deixe ele abusar dos alimentos excessivamente temperados. Permita que se alimente entre as refeições. Que coma tarde da noite, em frente à televisão ou ao celular. Apenas Deus sabe a quantidade de males que esses hábitos provocam, em todos os aspectos da criança (físicos, intelectuais, morais, emocionais e, também, espirituais)! Eles provocam dezenas de doenças e são promotores do uso da bebida, do cigarro e das drogas. E promovem o envelhecimento precoce!

4) Substitua sua presença, na vida do filho, pelo celular, pelo computador ou pela televisão. Fique longe do seu filho. Não brinque com ele. É muito importante para o seu filho não ter amor-próprio, para ele crescer atrofiado física, emocional e intelectualmente. Seja um pai ou uma mãe ausente. Certamente, ele não terá referenciais masculinos ou femininos. Será uma vítima fácil dos promotores da confusão sexual.

5) Deixe a educação do seu filho por conta da escola. Não se preocupe com sua formação moral e espiritual. Isso não faz mais parte do mundo moderno. Deus está morto. A vida se resume a uma competição, onde ganha quem pode mais. Não há nada depois da morte. Então, seu filho se tornará, primeiramente, uma vítima do egoísmo e da condescendência própria. Depois, um alienado espiritual, desprovido do Amor e da misericórdia divinos. E, finalmente, um psicopata social, capaz de cometer os piores crimes, para satisfazer seus interesses pessoais. E, ainda, correrá o risco de sofrer a punição eterna, no Juízo de Deus. E ele, certamente, o(a) condenará por isso!

6) Brigue com seu cônjuge na frente do filho. Deixe que ele note as suas verdadeiras disposições de caráter. Exponha sua dificuldade pessoal e seus conflitos, com o cônjuge, para ele. Você ficará admirado(a) de como ele aprenderá muito bem a imitá-lo(a)! Levando, para seu próprio lar, esse comportamento nocivo.

7) Não se importe com as amizades do seu filho. Deixe que ele escolha quem serão os que farão parte da sua “turma”. Não demonstre interesse pelos amigos que seu filho traz à sua casa. Talvez, por necessidade emocional, ele venha a se tornar amigo do traficante do seu bairro. A entrar no mundo pernicioso das drogas. E a colocar a sua segurança e de toda a família em perigo. Ou, então, ele será seduzido para o mundo da promiscuidade sexual, onde tudo é permitido.

8) Não converse, com seu filho, sobre sua vocação profissional. Não demonstre interesse pela carreira que ele pretende seguir, na vida. Não se preocupe sobre quais valores pessoais ele considerará, na escolha da sua profissão. Se ela atenderá apenas a sua necessidade pessoal de reconhecimento. Ou se vai ser uma bênção para a sociedade. Isso será muito importante para ele escolher uma profissão rentável. Algo como ser modelo ou jogador de futebol. Onde se ganha rios de dinheiro. Mas onde, na sociedade moderna, pelo vazio da depressão ou por uma overdose de drogas, a vida pode ser cortada abruptamente. E a sociedade ficara cada vez mais desprovida dos verdadeiros e essenciais profissionais, como os médicos e policiais. Ou, então, abraçarão essas profissões apenas por amor ao dinheiro, colocando a vida de milhares de pessoas em perigo.

Haveria, ainda, vários aspectos a serem considerados. Mas creio, leitor(a), que os oito acima são suficientes para termos uma noção de como os pais estão promovendo a ruína dos filhos, ao procederem dessa forma negligente, covarde e assassina. Meu desejo é que você assuma uma atitude diferente. Que você pense na responsabilidade que está sobre seus ombros. E, acima de tudo, que pense na alegria e no orgulho advindos da consciência de ter feito o máximo, da sua parte, para realizar a sua tarefa na educação do seu filho. Pois, tenha certeza, se você fizer o possível, Deus, que está muito mais interessado na salvação dos homens, fará o impossível, para que as crianças, das quais é o Reino de Deus, alcancem completo desenvolvimento e plena realização pessoal. Pense nisso!

Fonte: Ronival Gonçalves       

 

 

 

One Comment

  1. Parabéns pela matéria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*