Colunista Paiva Netto: Curiosidades Sobre o Templo da Boa Vontade

Colunista Paiva Netto: Curiosidades Sobre o Templo da Boa Vontade

Você sabia?

  1. Inaugurado em 21 de outubro de 1989, em Brasília/DF, Brasil, o Templo da Boa Vontade (TBV) foi construído em tempo recorde de 3 anos e 5 meses. Também conhecido como Templo da Paz, é o primeiro monumento no mundo dedicado ao Ecumenismo Irrestrito e Total. É um notável espaço de encontro e de expressão para o diálogo e o relacionamento inter-religioso. O monumento foi definido pelo tradicional jornal Diário de Notícias, de Portugal, como a “maior construção piramidal [de sete faces] do século 20”.

 

  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) acolhe pessoas todos os dias do ano, durante 24 horas, em seu ambiente principal, a Nave. “A dor não tem hora para bater à porta do coração”, afirmou Paiva Netto, ao inaugurar o Templo do Ecumenismo Divino, uma de suas muitas nomenclaturas. Por isso, jamais fechou suas portas. O TBV é um teto para toda a humanidade, e todos são muito bem-vindos, independentemente de crença, descrença, ideologia, partido político, classe social ou grupo étnico.

 

  1. A Pira Sagrada em frente ao Templo da Boa Vontade (TBV) simboliza a Solidariedade Universal e representa a chama da Fraternidade Ecumênica, que jamais se apagará nos corações de homens e mulheres de Boa Vontade. Todos os dias, às 18 horas, a Pira é acesa para lembrar o momento da Hora do Ângelus.

 

  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) foi construído com base no número 7, que simboliza a perfeição. É uma pirâmide com pontas e tem 7 faces, com 21 metros de altura e 28 metros de diâmetro; o Cristal no topo da pirâmide pesa 21 quilos; a Espiral, que fica no centro da Nave, possui 7 faixas escuras e 7 claras. Nesse ambiente, há ainda 7 bancos de cada lado e o Trono e Altar de Deus, que possui uma escada com 7 degraus. 
  1. No pináculo do Templo da Boa Vontade (TBV), está o Cristal Sagrado. Segundo estudiosos, trata-se de uma pedra que, além de purificar o ambiente, favorece a cromoterapia — a cura pelas cores. O cristal, doado ao Templo da Paz, foi encontrado em 1989, em Cristalina /GO, pelo garimpeiro Chico Jorge (1927-1996) e pesa 21 quilos. Na época, a mídia considerou-o o maior cristal puro do mundo. Em 1997, o renomado artista plástico Siron Franco mostra, no painel fotográfico do Cristal Sagrado do TBV, as linhas que, segundo sua refinada visão, formam a imagem perfeita da face de Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista. O fato tem sido confirmado por inúmeras pessoas que as observam pelo mesmo ângulo. 
  1. Cada ambiente do Templo da Boa Vontade (TBV) tem um recepcionista habilitado para fornecer diariamente ao público, das 8 às 20 horas, inclusive nos fins de semana, todas as informações relativas ao monumento. Para grupos estrangeiros, é possível, ainda, agendar visitas guiadas em inglês e em espanhol. Além disso, o Templo da Paz tem à disposição folders em vários idiomas com explicações do TBV. 
  1. Na Nave do Templo da Boa Vontade (TBV), encontra-se a obra Trono e Altar de Deus, feita pelo escultor italiano Roberto Moriconi (1932-1993). Nela, estão representados os quatro elementos da Natureza: fogo, ar, terra e água, para simbolizar o Criador (o Pai Celestial). Por sugestão do próprio autor, foi inscrita no Trono e Altar de Deus a frase “Todo dia é dia de renovar nosso destino”, do fundador do TBV, o jornalista e escritor José de Paiva Netto. A representação artística está posicionada no sentido leste-oeste para mostrar a união entre o misticismo do Oriente e o pragmatismo do Ocidente e foi inspirada na escala espiritual evolutiva do ser humano. Seus 7 degraus representam a infinita misericórdia de Deus para com as súplicas dos que O buscam.

 

  1. O piso na Nave do Templo da Boa Vontade (TBV) é feito em granito e possui um desenho em espiral, por onde o visitante percorre o caminho de cor escura, que gira no sentido anti-horário, representando a busca do ser humano por um ponto de equilíbrio. No centro da Pirâmide, exatamente embaixo do Cristal Sagrado, uma placa de bronze simboliza a descoberta da luz. O retorno do visitante pela cor clara na Espiral, em sentido horário, representa a trilha iluminada pelos valores morais e espirituais adquiridos pelo ser humano. A caminhada encerra-se em frente ao Trono e Altar de Deus, onde o visitante faz o seu pedido/agradecimento e bebe da água fluidificada. Os visitantes fazem a caminhada descalços para melhor catalisar as energias do ambiente. Esse ritual foi criado pelo próprio povo logo que o monumento foi inaugurado. 
  1. Um dos ambientes do Templo da Boa Vontade (TBV) é o Salão Nobre, onde estão expostas obras de arte, homenagens internacionais e o painel A Evolução da Humanidade. As imagens nos quadros foram feitas a lápis Crayon nº 2 pelos artistas Marcos Garrot e Hamilton Gondim e são de personalidades que, de alguma forma, contribuíram com o progresso humano.

 

  1. No Salão Nobre do Templo da Boa Vontade (TBV), destacam-se o Corão Sagrado, símbolo do Islamismo, e o Menorah (Castiçal), símbolo do Judaísmo. Há também um certificado da Maçonaria Grande Oriente do Distrito Federal, em reconhecimento ao Jubileu de Prata do TBV. Destaque ainda para a China, a Holanda e o Chile, que presentearam o Templo da Paz, e para a homenagem da Sociedade da Oração para a Paz Mundial, do Japão, com o “Obelisco da Paz”.

 

  1. No Templo da Boa Vontade (TBV), está exposto o que se acredita ser o único tarô que também possui figuras do tarô original, que são monumentos de uma cidade, no caso Brasília. A obra, intitulada “Tarô de Brasília”, tem pinturas em tela feitas pela artista plástica mineira Marlene Godoy, em comemoração dos 30 anos da capital federal. Na época, o TBV era ainda um monumento recém-construído, e, para completar os principais pontos turísticos, a artista entregou sua obra para o espaço, tornando-a uma mostra permanente da Galeria de Arte do Templo da Paz.

 

  1. Na Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade (TBV), o visitante pode conferir uma obra de origem francesa feita em cristal e em madeira entalhada à mão. Trata-se de um espelho com 205 x 300 m2 que remete ao período de 1822 a 1889. É uma homenagem à Família Real Brasileira que destaca o brasão da Coroa Imperial.

 

  1. O piano de cauda longa em exposição na Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade (TBV) é da marca Steinway & Sons, uma fábrica de origem alemã fundada em 1853, em Nova York, nos Estados Unidos. Grandes pianistas como Arthur Moreira Lima e João Carlos Martins já tocaram nele. Desse modelo de piano só existem 4 exemplares em Brasília/DF: no TBV, no Palácio do Itamaraty, na Universidade de Brasília (UnB) e no Teatro Nacional.

 

  1. A obra que retrata um anjo grávido tem como título “Maternidade” e foi feita com a técnica “papel machê” pelo ator e artista plástico Guilherme Karan (1957-2016), que a doou ao Templo da Boa Vontade (TBV). A obra é uma homenagem às mães e simboliza a mulher que, ao gerar um filho, deve devotar-lhe proteção na sua jornada terrena, conduzindo-o no caminho do Bem, do Amor e da Solidariedade. 
  1. O Memorial Alziro Zarur, um dos ambientes do Templo da Boa Vontade (TBV), é dedicado ao idealizador do TBV, Alziro Zarur (1914-1979). Nesse espaço, estão expostos os móveis e objetos pessoais dele da década de 1940 e há também um túmulo simbólico em sua homenagem (os restos mortais de Zarur estão no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro/RJ).

 

  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) faz parte da rota turística chamada “Rota Athos” por abrigar a obra do consagrado artista brasileiro Athos Bulcão intitulada “Peixes”, a qual representa o Cristianismo Nascente. Uma das poucas feitas em madeira policromada, a principal característica da produção artística são os painéis em azulejos. Ela está exposta no TBV em local escolhido pelo próprio autor. 
  1. Antes de jorrar na Fonte Sagrada do Templo da Boa Vontade (TBV), a água passa por diversos filtros e atravessa a Nave onde recebe as energias do Cristal Sagrado. Além de ser utilizada para beber e energizar cristais, muitos frequentadores e visitantes também a usa para fins curativos e terapêuticos. Ao lado da Fonte Sagrada, há uma comovente escultura francesa do século 18 feita em bronze, que representa Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, abençoando todos que ali circulam. O espaço é uma exaltação à Natureza e à água. Por isso, o fundador do TBV, Paiva Netto, fez questão de registrar no local a seguinte frase: “Água é Vida, sem ela torna-se impossível qualquer tipo de existência. Poluí-la é crime de lesa-humanidade”. Além de realizar ali suas orações, os peregrinos reverenciam e beijam os pés da bela escultura de Jesus e seguram a mão esquerda (ao lado do coração), num gesto de muito respeito e de grande religiosidade, suplicando as bênçãos espirituais e materiais. 
  1. Por ser um ambiente de recolhimento e oração, os visitantes do Templo da Boa Vontade (TBV) devem respeitar as normas de vestimenta para adentrar o monumento. Se necessário, o Templo fornece roupa gratuita e descartável na recepção.

 

  1. A Mandala é um majestoso painel em cristal, com interferência no mármore, em dois planos. Segundo a artista plástica alemã Ula Haensell (1938-1992), a obra é um círculo que não tem começo nem fim. Doada pela artista ao Templo da Boa Vontade (TBV), é uma das mais procuradas durante a visitação por ser um transmissor de energias. No centro da Mandala, está a representação de Deus, a Lei da Natureza, a Lei Cósmica, e, em volta do núcleo, aparece o verde esmeralda, a cor mais espiritualizada que um ser humano pode atingir. 
  1. Brasília, assim como outras importantes capitais, também possui suas Sete Maravilhas. Em dezembro de 2008, o Templo da Boa Vontade (TBV) foi aclamado uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF. A escolha, realizada por voto popular, via internet, foi promovida pelo Bureau Internacional de Capitais Culturais (Ibocc), com sede em Barcelona. Além do TBV, também foram eleitos o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada, a Ponte JK, a Catedral de Brasília e o Santuário de Dom Bosco.

 

  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) recebe, todos os dias, peregrinos do Brasil e do mundo. Alguns ilustres visitantes internacionais que conheceram o Templo da Paz: John Amos (astro de Hollywood), integrantes da banda Guns N’Roses, Staff da Beyoncé, Robert Plant e produtores e integrantes da sua banda “The Sensational Space Shifters”, que foram ao local para meditar antes de fazer um show em Brasília/DF, no ano de 2012. Depois de caminhar pela Espiral e observar o Cristal Sagrado no topo da Pirâmide, Robert Plant destacou a qualidade da música que tocava no ambiente.

 

  1. O acervo da Galeria do Templo da Boa Vontade (TBV) conta com obras de artistas famosos, como as da alemã Ula Haensell (1938-1992), do uruguaio Montani, do venezuelano Maldonado Diaz, de Brunhilda Zilles, de Concessa Colaço (1907-2001), de Lia Werner, de Jânio Quadros (1917-1992) e de Mino Carta. 
  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) celebra cerimônias matrimoniais e de batismos, independentemente de Religião. Também promove exposições de obras de arte e atos ecumênicos; no Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, prédio anexo ao TBV, ocorre, ao longo do ano, uma série de eventos.

 

  1. Durante uma das palestras do Fórum Mundial Espírito e Ciência, realizado em 2000 pela Legião da Boa Vontade (LBV), o físico russo Edward Krizhanvsky, utilizando-se da Técnica de Descarga Gasosa de Visualização, realizou experiências e comprovou que a ambiência do Templo da Boa Vontade (TBV) fortalece as energias de quem adentra as suas portas. O físico afirmou que o resultado foi surpreendente: “A principal e mais interessante conclusão é que houve uma diferença perceptiva [das pessoas] antes e após voltarem do Templo. Os voluntários tiveram suas energias fortalecidas e bem distribuídas, além de ficarem muito mais claras”.

No próximo dia 18 de outubro, das 8 às 18 horas, ocorrerá mais uma edição do Fórum Mundial Espírito e Ciência, da LBV, que terá como tema central “Investigando Espírito, cérebro e mente” e contará com a participação de renomados pesquisadores e cientistas. 

  1. O Templo da Boa Vontade (TBV) foi pauta de importante série da rede de TV britânica BBC de Londres, que destacou dos rituais mais desconhecidos aos famosos templos, numa excursão por todo o planeta. Assim, a BBC de Londres registrou as diferentes expressões da fascinação humana pelo divino com a série “A Volta ao Mundo em 80 Crenças” (Around the World in 80 Fainths), que foi veiculada em fevereiro de 2009. O programa seguia a jornada do pastor da Igreja Anglicana Pete Owen Jones por todos os continentes mostrando os costumes das seis maiores religiões do planeta: Budismo, Cristianismo, Hinduísmo, Islamismo, Judaísmo e Siquismo (na Índia). Depois de desbravar, com a equipe de jornalistas, desertos na África e nas Américas, montanhas na Ásia e florestas fechadas para encontrar diferentes manifestações do sentimento religioso, Owen Jones constatou: “Hoje, em um mundo que tem sido dividido por supostas crenças religiosas, vir a um lugar onde se está promovendo a Paz, a compreensão e o esclarecimento entre as religiões do mundo é um alívio (…) Sinto o Amor quando venho ao Templo da Boa Vontade. Foi muito importante ter vindo ao TBV”, afirmou.

 

  1. Desde 2003, é comemorado, em 21 de outubro, o Dia do Ecumenismo, com o objetivo de promover a Paz entre os mais diversos campos do conhecimento espiritual e humano, fazendo da bandeira do respeito a base para a harmonia entre os seres humanos, a união e o entendimento entre os povos. A data, celebrada em várias cidades brasileiras, além de Brasília, homenageia também o Templo da Boa Vontade (TBV), o Templo do Ecumenismo Divino, inaugurado em 21 de outubro de 1989, na capital federal.

 

  1. No último dia do ano (31 de dezembro), o Templo da Boa Vontade (TBV) realiza o Réveillon Espiritual para saudar a chegada de um novo ano. O tradicional evento reúne centenas de pessoas que procuram ambientes que propiciem Paz, tranquilidade, meditação e acolhimento para renovar as energias. O evento é celebrado, independentemente de crenças religiosas. A contagem progressiva para o ano que se inicia ocorre no centro da Nave e é concluída com a caminhada pela Espiral. 
  1. Um dos ambientes mais requisitados no Templo da Boa Vontade (TBV) pelos visitantes é a Sala Egípcia. O local diferenciado traz detalhes do povo egípcio e, ao mesmo tempo, propicia um ambiente para meditação. Na Sala Egípcia, é possível apreciar, entre outras coisas, afrescos que reproduzem a grande esfinge de Gizé, o próprio Vale de Gizé, com as três pirâmides: Quéops, Quéfren e Miquerinos, além de réplicas da mobília da época. No teto, há ainda “sete céus”, que representam os sete dias da semana e toda a mística do número 7. Além dessas, há muitas outras minúcias que confirmam as palavras do fundador do monumento, José de Paiva Netto: “Se você não pode ir ao Egito, o TBV traz o Egito até você”. O espaço promove às quintas-feiras, às 19 horas, a reunião ecumênica de meditação, aberta a pessoas de todas as idades.

 

  1. A porta do Templo da Boa Vontade (TBV), feita em madeira com entalhe, é uma obra do artista Toninho Maciel. O TBV teve suas portas abertas pela primeira vez em 21 de outubro de 1989, e, desde então, elas nunca mais fecharam. “A dor não tem hora para bater à porta do coração”, destaca o fundador do monumento, José de Paiva Netto. 
  1. Dentro da Nave, ambiente principal do Templo da Boa Vontade (TBV), encontra-se uma estátua do Profeta Daniel. A obra representa a passagem do sexto capítulo do livro do Profeta Daniel, no Antigo Testamento da Bíblia Sagrada, sob o título: “Daniel na cova dos leões”. A peça em gesso foi feita pelos alunos da Fundação Artística Liboreto e é uma reprodução autorizada pelo Ministério da Cultura da obra do gênio do barroco brasileiro Aleijadinho. A original é feita de pedra-sabão e encontra-se exposta em Congonhas/MG.

 

  1. Descendo a escada próximo à Fonte Sagrada em direção ao Memorial Alziro Zarur, há uma imensa tapeçaria intitulada “A volta de Jesus”. A obra é da mestra tapeceira e artista plástica Concessa Colaço, que, em sua concepção, o Cristo é Ecumênico, não tem um rosto definido, por isso, cada pessoa O definirá conforme a sua crença ou descrença. A obra ressalta também o Novo Mandamento: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei” (Evangelho de Jesus, segundo João, 13:34). Mais à frente, o peregrino encontra, no Memorial Alziro Zarur, o painel A Conquista, do artista plástico Satyro Marques. A obra é baseada no último livro da Bíblia Sagrada, o Apocalipse de Jesus, e destaca, à sua esquerda, os cavaleiros citados no texto bíblico; na parte inferior, a humanidade material e espiritual pedindo ajuda; à direita, as trombetas que anunciam a Volta Triunfal de Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, fazendo um colar de cristais de purificação, que se assemelham ao Cristal Sagrado, que fica no pináculo do Templo da Boa Vontade (TBV). Atrás, estão os guerreiros, soldados a serviço de Deus.

Templo da Boa Vontade — 30 anos

Quadra 915 Sul — Brasília/DF

Instagram: @templodaboavontadetbv | Facebook: templodaboavontade

Informações: (61) 3114-1070 | amigosdotbv.org

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*